quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Resistência, Quem é que não se lembra?

Gostava, é óbvio que gostava. Não o fiz porque fui deixando ir, fui deixando passar, conscientemente ou não, o que é certo é que acabei por não comprar o bilhete.
Agora, não posso negar a força e marca que, as canções interpretadas por este "grupo" nos anos 90, deixaram em todos os que na altura atravessavam essa conturbada etapa, a adolescência.

Quanto a músicas preferidas, salta logo "A noite" à memória. Pela simplicidade da letra, musicalidade, e mensagem para quem descobria os encantos do sexo oposto. "ela despiu e ele a satisfaz..." o que quereriam eles dizer com isto?, até onde é que estas palavras iriam? e qual seria a importância e significado destas palavras para quem escrevia esta letra? O que é certo é que apenas muitos anos mais tarde vim a saber que a música era um original dos Sitiados...

Já "Não sou o único", faz-me lembrar um intervalo grande durante as aulas. 5º ano. Estava eu e o meu colega na disputa de mais um jogo de berlinde no campo de areia, quando ele entoa os versos "pensas que eu sou um caso isolado, não sou o único a olhar o céu".
Eu, inocente, olhei o céu...
Já tinha ouvido algures aquela música... Estavamos na primavera penso eu. Estava calor. Olhei o céu e o céu era azul claro com salpicos de núvens esfumaçadas de um branco puro. Olhei o céu novamente, e percebi então, que não era o único a olhar o céu...



A apresentadora do então consagrado "Top +" transmite claramente toda a carga da época. Ela um icone para tantos de nós na altura. O blusão de cabedal, o preto, o preto que eu queria vestir, mas que eu não tinha para usar. Era o tempo de Guns N´Roses lá fora, mas cá dentro... cá dentro era Resistência, claramente!





quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Ambientador Natalicio # 1

Nos próximos dias irei deixar aqui uma música por dia, com diferentes interpretes, todas elas inerentes à época, porque para a viver, também é preciso cantar...


Contra a "crise" Mental


Era um pouco disto que se precisava de adoptar por cá...
Na Grécia nascem de todos os cantos escolas de swing, onde os Gregos se têm conseguido refugiar das apertadas medidas Troikianas.
Um pouco à imagem do ambiente recessivo que se vivia na altura em que o estilo nasceu, na altura da segunda grande guerra, hoje e cada vez mais, faz sentido a revitalização desta dança, que obriga um sorriso despreocupado nos lábios...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Sozinho

Noutro dia, noutro ano, noutra época.

Era mais ou menos por ali que passavam, de mão dada, sorrisos fáceis e sonhos imperdiveis. Era mais ou menos assim. 
Hoje fica apenas o lugar e a lembrança dele. Hoje caminha por ali sozinho, sozinho de coração, como tinha ficado desde então. 
Nem ela nem a recordação. 
Tal qual o fumo de uma chaminé, que no horizonte se dissipa sem pressas e sem rigores, tudo se esfumaçou aos poucos e sem se aperceber que acontecia...


Apetecimentos # 1

Tudo aquilo que eu quero e acordar sem sentir os ombros.
Acordar sem quê nem porquê. Sair à rua. Sol lá fora. Tronco nú, calções e chinelas nos pés. Prancha na mão e ondas até o sol se pôr no horizonte.

Era isso que eu queria...

domingo, 9 de dezembro de 2012

Natal a letras garrafais.


É isso que observo para lá do que o meu olhar consegue alcançar. 

Olho e volto a olhar para lá da garrafa que tenho em mão... Mas nada vejo, para além de umas pequenas luzes dissimuladas pelo distorcido de um simples vidro martelado.

Sentado numa esplanada de uma quase deserta Rua Augusta, vejo as iluminações de Natal que embora sem o alcance de outros anos, mantêm a mesma magia.

As pessoas vão e vêm. Vão e vêm... Uns agarrados, outros bem soltos. Uns com esperanças e outros sem qualquer ponta dela. Uns mais outros menos... 
Eu continuo aqui sentado, balanceando a minha garrafa gelada na mão direita, e com a mão esquerda refugiada no bolso do meu casaco,rezando e implorando para que eu não me lembre de a tirar de lá.

O empregado de mesa vai e vem sem reparar que está a ser reparado. O passo apressado e as costas bem direitas. A rapidez de execução e a memória incrivel para oito pedidos diferentes. Impressionante...
Há sempre alguém que avalia de fora e há sempre alguém que é avaliado por dentro. 

No meio disto tudo, e por mais que pensemos que não... Há sempre alguém!




sábado, 8 de dezembro de 2012

Coisas de Dezembro

Foi uma lufada de ar fresco! 
Depois de uma noite de trabalho, e de me deitar com Lisboa completamente assombrada por um nevoeiro castrador, acordei com um dia de sol brilhante. 


Embora com uma presença pouco acolhedora (caracteristica da época), sabe sempre bem sair à rua e inspirar aquele ar frio, mas limpo de chuva....

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Dicas



Para aqueles que não percebem nada de computadores, (um pouco à minha imagem), se quiserem aumentar a velocidade de navegação na Internet, utilizem o Browser "Google Chrome".

Não há quaisquer tipo de dúvidas quanto à sua rapidez e facilidade de utilização! "Firefox", ou "Internet Explorer" já foram... há muito!

Ausências ou vivências

Penso que já escrevi sobre este temo anteriormente, provavelmente no meu Blog anterior.

Vejo muitas das minhas ausências no mundo informático como consequêcias de maiores aproximações ao mundo real. Também estão aliadas ao facto clareiras de inspiração, as quais procurarei encobrir o mais rapidamente possivel.
Assumo aqui o compromisso, e espero que me venham aqui cobrar o compromisso cada dia que passa.

sábado, 3 de novembro de 2012

Insónia atipica em dia de calmaria



Certo é que na maioria das vezes o nosso olhar é incapaz de compreender o que é ficar deitado numa maca num corredor de hospital, mas não menos verdade, é o desconhecimento de quem deitado numa maca se encontra, tem para com trabalho que o Enfermeiro tem com todos os que deitados se encontram...
São 5h26 e felizmente estão todos a dormir, algo raro nos últimos tempos. Percorro pausadamente entre as salas de retaguarda da Urgência e tudo calmo, por enquanto.

Quando chegam os primeiros raios de sol, todos desconhecem que nós os conhecemos melhor que muitos, sabemos quais os seus jeitos, os tiques, o modo favorido de dormir, o ressonar e o acordar... Sim porque somos nós que os vemos adormecer, dormir e somos nós que melhor que nínguem, os sabemos acordar...

Porque um dia, eu também lá poderei estar, que haja quem me saiba acordar...

domingo, 30 de setembro de 2012

Déjà Vu

Impressionante o efeito que uma música tem quando nos enche as medidas.
Quando sai fora de todas as estribeiras e encaixa bem dentro dos carris em que segue a nossa vida...Segue ou por onde seguiu.
Algo com que nos identificamos e não sabemos porquê...

Algo equiparavel a uma sensação de déjà vú.

Bom, tranquilizante e não sabemos porquê.

sábado, 21 de julho de 2012

A primeira vez que vamos à praia


A primeira vez que vamos à praia apenas com os amigos, a combinação, o encontro, o comboio da linha, os 15 minutos a pé, a bola de NIVEA e a sua sombra movediça, os melhores locais e os locais mais apetecidos, as míudas e a bola de futebol, as jogatanas, os banhos, as corridas, secar na toalha, secar em pé, o entardecer, o sal na pele, o pôr do sol e o anoitecer.
Voltar para casa. A molesa. As cara rosadas e o esperar que o dia de amanhã seja idêntico...

sexta-feira, 20 de julho de 2012

domingo, 15 de julho de 2012

Um feito precioso

Um feito precioso, será sempre aquele em que conseguimos manter uma conversa com alguém que não nos lembramos quem é.
De um modo cordial, assertivoe mais importante que tudo, convicto!

sábado, 14 de julho de 2012

Caminho a Santiago # Dia 2


Embora curta tenha sido a dormida, não perdeu de forma alguma a sua função reparadora.
O despertador voltou a tocar, hoje 24h depois do primeiro difícil acordar, mas com um ânimo completamente diferente.
O salto da cama foi quase imediato, bem como quase imediato foi o primeiro contacto com as dores tipo moinha numa das pernas e ombros.
Tínhamos que abandonar o albergue antes das 8h00 e foi isso que fizemos.
Dirigimo-nos ao snack-bar mais próximo das redondezas, local onde no dia anterior tínhamos ido buscar refeições para todos, uma vez que dois de nós tiveram que ficar no albergue, precisamente para salvaguardar a nossa entrada no mesmo.
O pequeno almoço foi revigorante, e foi aqui que comecei a ter a primeira percepção do modo como as outras pessoas se relacionavam connosco. Os olhares despreocupados de fachadas, mostravam que éramos reconhecidos pelos outros como peregrinos, e isso ajudou aos poucos à construção deste conceito que todos desconhecíamos: ser peregrino.
O caminho faz-se caminhando, e foi com esta frase na cabeça que saí de mochila às costas e animo reprenchido.
Os primeiros km´s foram de muita animação, brincadeira, boa disposição e sempre a bom ritmo. Mas com o passar do tempo o céu foi-se fechando e aos poucos desabando sobre nós, até ao momento em que todas as nuvens do céu de algum modo, foram prensadas sob os nossos olhares e descarregaram tudo quanto tinham para dar sobre nós!!!

O caminho faz-se caminhando, vou pensando eu insistentemente, e os primeiros 15 km são uma experiência totalmente diferente. A mochila hoje já praticamente que não pesa, o problema centra-se claramente nos ombros e gémeos.
Mas um novo contratempo tinha chegado para se instalar de armas e bagagens...
Uma chuva imensa, que há muito não experimentava de forma livre e voluntária, aos poucos vai cortando com a conversa entre o grupo, as brincadeiras vão escasseando, o silêncio impera e cada um para dentro de si, se tenta convencer a cada passo que dá, que falta apenas a próxima curva que temos no horizonte...
O caminho faz-se caminhando, mas debaixo de tanta chuva?! Como é possível???

Foi assim repetidamente durante os últimos 5 km (dos primeiros 15) e uma hora e 30 minutos penosos, molhados e dolorosamente vagarosos, até que finalmente chegámos à primeira povoação, Redondela, e alcançámos o tão implorado tecto e chão secos. Estava na hora de almoço.

Entrámos no restaurante, pousámos as mochilas e olhámo-nos todos de olhos incrédulos tendo em conta o que havíamos conseguido fazer. Eu tirei o meu casaco que agora descobri que não era impermeável e olhei para a minha t-xirt, toda ensopada, colada a cada centímetro de pele. Em desespero por tal desconforto, vou até à casa de banho. dispo-a, olho-me ao espelho e volto a olhar novamente para a t-xirt ensopada em praticamente com 1 kg de água! Torço-a, mas não tenho coragem de a guardar de novo, Debaixo do lavatório, junto a um canto, reparo num pequeno caixote de lixo, e é para lá que a atiro!

(Fico apenas com mais 2 t-xirt´s secas para o resto da viagem, uma para a segunda parte do dia e outra para amanhã)

Depois de um estômago cheio e roupa novamente seca, demos início à segunda parte da caminhada. 

(A hipótese de ficar um dia a mais em Santiago de Compostela, leva-nos a fazer num dia as etapas de dois dias. Faltavam agora "apenas" cerca de 19 Km.)

Esta sim, foi claramente uma prova de superação, persistência, crer e suplantação. Foi uma etapa épica pela sua complexidade e modo como colocou à prova a nossa capacidade de resistência. Chuva copiosa, num contínuo exorbitantemente massacrante!
Nos últimos 6 a 7 km já não víamos fim à vista. Depois da estupefação, da beleza da paisagem, das cantorias e brincadeiras mais simples e puras que nos vinham à cabeça, para nos ajudar a passar o mau bocado por que estávamos a passar, a conversa acabou. Cada um ia lutando consigo mesmo, de dentro para fora, da desistência para a superação.

(Fica a imagem de um camionista que do alto da sua cabine, olha incrédulo para uns caminheiros que em fila indiana, de capuz na cabeça vão caminhando em modo automático, molhados da cabeça aos pés, mas vão caminhando)

Lá chegámos ao destino, Pontevedra. Penosamente fizemos cerca de 1 km a mais (500 metros para cada lado que mais pareciam 5 Km) por um pequeno e inocente engano, mas que naquela altura do dia e depois de tudo aquilo que já tínhamos passado, se traduziu como se tratasse de uma faca espetada no centro do abdómen que vai girando lentamente em várias direcções.
 
Gastos no 2º dia: 20,40 €
 

terça-feira, 10 de julho de 2012

Ilusões de criança



Uma das descobertas mais chocantes na minha existência:

Há dias vi desmoronar todo uma ideia, um castelo, um ideal, uma memória de infância. Todos nós lembramos dos dizeres, simples e únicos que fizeram parte da nossa infância. Estou agora a falar do famoso "Partida, largada, fugida"

Eram cerca das 3h00, fazia eu mais uma noite no hospital, quando vou ajudar à passagem de um doente de uma maca para a outra. com a energia e brincadeira que começa a surgir a estas horas da madrugada, tomei a iniciativa de fazer a contagem, desta vez, não de um modo numérico, mas como eu fazia na minha infância. Foi então que iniciei a contagem:
- "Partida, Lagarta, Fugida"
- Tu disseste Lagarta???
- Sim, Lagarta, ónde está o problema? Não te lembras desta contagem, é?
- Não, eu lembrar, lembro! Agora Lagarta? Largada!!! É Largada, onde é que foste buscar a lagarta?

Caros leitores, digam-me se tenho ou não razão. Bem sei que não faz muita lógica a lagarta estar no meio de uma partida e uma fugida, mas possa, eu sempre disse lagarta!

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Anúncios # 7 - Optimus


Genial, preciosa, incisiva, activante de memórias e identidades. Fico com vontade de sair país fora e conhecer aqueles verdes todos!!!!

domingo, 8 de julho de 2012

Elogios

Porque nunca se sabe quando ou de onde poderão surgir, nunca deixes de dar o teu melhor...

Pouco elegante será sempre receber um elogio quando estás de "guarda baixa". Isso aconteceu-me recentemente e nem o elogio sabe bem, nem o agradecimento sai jenuíno... Porque lá no fundo sabemos que a consciência pesa...

Eles são raros, mas a raridade apenas existe porque algum dia o acontecimento surge.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Enfermeiros a 3,96 €/h

Mais tarde ou mais cedo acabaremos todos por pagar por aquilo que cá fazemos.
Essa é uma convicção que eu tenho e mesmo que convicção não fosse, seria sempre uma verdade, daquelas que surge das simples inferências que nos traz a sabedoria popular através dos seus ditados.

Pagar 3,96€/h aos Enfermeiros é uma barbaridade, uma vergonha, um nojo simplesmente inacreditavel que surge com a conivência de quem decide no nosso país.

Eu acredito que a justiça cá se fará, e se não for nos nossos recibos de vencimento, será quando os responsáveis por estas directrizes cairem numa cama de um hospital... Não, ninguém lhes fará mal, serão sempre tratados da melhor forma possível, agora resta saber qual será a melhor forma...

Duvido que a pagar assim os bons enfermeiros por cá continuem, a ser gozados e espezinhados com a atribuição de um salário equivalente a um subsidio de reinserção atribuido a um cidadão que não quer trabalhar. Será que os que ficam serão bons, mais ou menos, fracos ou muito maus?

A ir para a frente, acho que será melhor distribuir o destack para o cruzamento do Marquês de Pombal.
Não fazemos noites, não temos responsabilidade sobre pessoas, não precisamos de estudar, não precisamos de pagar para nos formarmos e quem sabe até pode ser que nos dêem gorjeta...

Vamos para a rua!
Vamos de cabeça tapada, e de braços em punho.

Bandidos...

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Música do dia # Happy Pills



Pensava que seria para sempre, mas não.

Deixaste-o aqui todo espanhado em pequenas porções no meu quarto.
Em cima da minha cama, perdido no meu chão, nas capas do sofá, nas portas do frigorifico, no chuveiro da banheira, mas pior que isso tudo, no meu espelho.
É lá que reparo que faltam todos os pedaços que deixas-te pregados nos vários cantos da minha casa. Será assim, já me convenci, será com esta imagem que terei que viver.

Olhar todos os dias para o vazio arrancado por debaixo do meu peito. O vazio que outrora estava atafulhado dos inúmeros pedaços, agora espalhados mas tão pregados que não os consigo juntar.

Norah Jones - Happy Pills

Tortura

Querer sair à noite numa "noite" como esta, e não ter com quem o fazer...

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Euro 2012 # 2

Esta sensação de estar de férias, e saber que ao final do dia temos sempre um jogão para ver é um ponto motivacional do outro mundo!
Adoro acordar de manhã e saber que à tarde haverá jogo grande:)


Algo me diz que este vai ser mais um campeonato para a Espanha... Joga que se farta!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Euro 2012 - Sobre a nossa Selecção



Estou agora a ouvir o hino Nacional.
Este é talvez o único momento em que podemos tirar a pinta à vontade e crer dos jogadores que lá fora representam a nossa selecção.
É um momento único. O que eu não gostaria um dia de poder cantar assim o hino do meu país. Nenhum dinheiro, nenhum prémio, nenhum aliciante deveria sobrepor-se à vontade e poder que é tranmitido com o cantar do nosso hino.
Hoje parece-me que eles estão com crer. Parece mesmo. E ou muito me engano ou o Cristiano Ronaldo vai brilhar... Não pelo facto de não ter cantado o hino, mas sim pelo facto de me parecer estar a senti-lo!

terça-feira, 12 de junho de 2012

Santos




E hoje é noite de sto António, de Marchas Populares, de Bairros, de bairrismos, de fados e de choros, de sardinhas e de bifanass, de chouriço assado e de caracois, de cerveja e de vinho tinto, de amigos e amizades, de bailes, de bailaricos e de brincadeiras.

Estou agora a preparar-me para sair.
Calças de ganga, uma T-xirt e um casaco leve, que logo chegarão a casa impregnados de cheiro a sardinha assada!
Alguém lá vem ter comigo?

Reflexão # - Mudança de casa

Tudo é muito bonito. O entusiasmo pela mudança, a escolha de uma casa entre muitas, o ver a casa pela primeira vez, o escolher que é aquela, a negociação do preço...
Agora a mudança e tudo aquilo que implica a mudança de casa... (valha-me Nossa Senhora!!!)
Os móveis, os que não são tão móveis, as loiças, as roupas, as mantas, as malas, os sacos e as saquetas, os CD´s, a aparelhagem, a TV, os livros, os talheres, os tachos, o micro-ondas, a torradeira, a comida, a congelada e a que está por comer, o computador, a falta de net, a limitação dos 4 canais, as limpezas, do pó, das janelas, dos vidros, do chão, da casa de banho, dos sitios que nunca foram limpos e dos que já se sujaram só com a nossa entrada.

Isso e muito mais cada vez que se muda de casa??? Ou eu me engano muito ou apenas mudarei de casa mais uma vez...

(a minha ausência prolongada? Essa deveu-se ao tempo prolongadissimo em que esperei que me fosse instalado a internet)

domingo, 27 de maio de 2012

Música do dia # - Drink



A espaços, lá vou dando a oportunidade de passar CD´s  "já passados"no leitor de CD´s do meu velhinho automóvel. Nos últimos dias que tem agarrado a oportunidade têm sido estes senhores, e muito bem...

Fica aqui uma amostra para quem não conhece. Já agora, podem sempre tentar adivinhar quem tem uma vóz parecida com a do vocalista... Apenas a título exploratório;)

Fiction Plane - Drink

Off the record

Já tenho idade suficiente para perceber que There´s no such thing as: "Off The Record"

Segredos, esses ficam para nós. Tudo o que passa disso, deixa de o ser! Os jornalistas que o digam... Esses e outros...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Caminho a Santiago # Dia 1

06h23 -
O despertador toca uma vez e eu desligo sem sequer notar que o fiz.
O despertador volta a tocar, e chego a abrir os olhos. Com a claridade vem a má disposição e a má vontade. Lá fora oiço a chuva a bater nos estores, e tudo o que me vem à cabeça é " COMO É QUE FUI CAPAZ DE ACEITAR ESTE DESAFIO". Está a chover lá fora, estou cheio de sono, dormi quatro horas e estou na eminência de deixar o quente dos meus lençóis de flanela. 
Sento-me de pernas pendentes na cama e ganho coragem. O rádio despertador está sintonizado na rádio comercial, e lá vai tocando uma música que actualmente me vai despertando a curiosidade - Gotye - somebody i used to know.
Levanto-me, vou à casa de banho e lavo a cara. Desfaço a pouca barba que a espaços tenho semeada na cara e despeço-me aqui de mais uma coisa dispensável - Gillete e gel de barbear.
Vou até à janela e chove, "porra, continua a chover". Acelero o passo, desfaço a mala que havia ficado feita do dia anterior, numa procura rápida pelo impermeável que estava guardado num dos vários sacos de plástico.
Como qualquer coisa à pressa, olho uma última vez para o chapéu de chuva, e naquele momento decido abandona-lo, a ele e a toda a luxuria do nosso mundo.
 Estou a momentos de iniciar esta viagem. É já hoje que espero começar a tirar as primeiras ilações sobre o que é realmente essencial no meu dia-a-dia.
Penso que será sobre essa vertente que cairá o meu pensamento, todas e quantas vezes, cada objecto que carrego comigo e que neste momento está às minhas costas, me começar a pesar três vezes mais que o seu real peso.

14h45 - Já chegados a Valença do Minho, tiramos uma primeira foto de grupo, histórica sem dúvida (já o sabíamos cá dentro sem saber ao certo até que ponto)
Iniciámos a viagem e tivemos o primeiro contacto com a natureza.

Pelas 20h30 chegamos ao nosso primeiro destino, Porrino. as pernas já caminhavam automaticamente e os ombros pesavam como se tivéssemos correntes de ferro a puxar os ombros em direcção aos pés.
O banho de cerca de 15 minutos de água quente a cravejar os ombros em modo cascata, soube pela vida, e a cada vez que escorria corpo abaixo, era limpo um pouco de todo o cansaço acumulado.
Cerca de uma hora depois fomos buscar o nosso último elemento que se juntava a nós a meio da viagem, (mal sabia ela que iria custar tanto) e foi com ela que nos apercebemos da realidade do peregrino e dos alberques. todo o albergue fecha às 22h00. Tudo o que vai para além disso não é permitido, e quem não está dentro do mesmo, já não volta a entrar mais.
A estadia fica a 5€/pessoa, sem pequeno-almoço. Regalia de peregrino...

Gastos no 1º dia: 26 €

domingo, 20 de maio de 2012

Taça de Portugal

Parabéns ao Académica de Coimbra.
Sempre foi e continuará a ser mitica a final naquele local... hoje houve festa do futebol. Se se fez justiça ou não, não sei! O que penso é que uma equipa destas ganhar a um grande uma final da Taça de Portugal, é sem dúvida um grande feito.
Será sempre a festa do futebol, e hoje ela fez-se ...

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Caminhada...

Daqui a 12h estarei provavelmente a dar inicio a uma caminhada de descoberta. Uma caminhada até Santiago de Compostela onde tenho como objectivo pessoal descobrir os meus limites, as minhas reais necessidades as minhas capacidades...
Não será coisa fácil.

A mochila pesa 7,2 kg e o treino não tem sido muito... Até breve

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Acerca do campeão 2011/2012

Há que dar os parabéns ao Futebol Clube do Porto. Afinal de contas foi o clube que mais pontos amealhou ao longo do ano, e nem que seja apenas por essa razão, merece ser campeão nacional.
Ontem, Rui Santos, (comentador da SIC Noticias) levantou a suspeita sob o penalti cometido pelo jogador do Maritimo... Uma mão à bola muito suspeita, quando aparentemente nada justifica que ela seja levada à bola. Uma eventual compra de jogadores do clube adversário? Isto ainda será mais preocupante do que os erros, (a meu ver sempre inocentes) dos árbitros.
Não quero crer que estejamos nesse patamar, mas quando há alguém que começa a levantar suspeitas...

Quanto às minhas previsões aqui, olha, ficam para o próximo ano.

domingo, 29 de abril de 2012

Sobre casamentos

Não sei se foi de comer em demasia, ou da chuva que apanhei à noite apenas em camisa...
Seja como for estou arrependido das duas!

Tosse, febre, arrepios na espinha que vão de das entranhas até à garganta... Nada, mas nada disso é aliciante...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

25 Abril



Para quando um Presidente que nos dê soluções e não constatações de uma realizade que já conhecemos?
Eles é que são os especialistas e o que fazem é apenas tapar os buracos com remendos?
Soluções, orientações comportamentais, atitudes, linhas de pensamento. Nada, mas nada disso é feito por quem está no poder.
É que nem são capazes de nos aconselhar a cavar as bordas das estradas e plantar umas couves... Até isso já descobriram a quase totalidade dos analfabetos do nosso país...
Parabens aos analfabetos por terem rasgos de inteligência superior aos nossos doutores da politica!

Gosto disto!

Aquela sensação da forte dor de cabeça que suavemente se vai desvanecendo... é qualquer coisa de espetacular!

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Cinema - American Pie "Reunion"


Confesso que não estava à espera de tanto.
Não porque seria algo de impossivel, mas porque todos nós ficámos com a referência ao primeiro filme e tudo o que se seguisse seria sempre inferior.

Desta vez as coisas foram diferentes. O filme embora não consiga superar o efeito surpresa causado pelo primeiro, está muito bem conseguido, e porra, tem umas quantas cenas cómicas que puxam a lágrima ao canto do olho de tanto rir.

Recomento, não apenas porque é um bom filme de comédia, mas essencialmente, porque nos permite vários vai-vem a um passado nosso que às vezes parece esquecido - A nossa adolescência. Tal como as deles, as nossas memórias são puxadas a cada música contemporânea que compõe a banda sonora - Tudo músicas do final dos anos 90, categoria! Nem que seja apenas por isso, vale o bilhete do cinema!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

IRS

Acabei agora de entregar o famoso Modelo 3 do IRS. E descobri uma coisa fantástica.
Inventaram mais um imposto a que chamam Sobretaxa Especial, para mim, no valor de 250€! Vem declarado na folha que nos é entregue pelas finanças via CTT...
Achei engraçado, o facto de este ano termos uma coluna a mais, apenas isso...

O melhor pastel de nata

E o prémio para o melhor pastel de nata vai para...

Pastelaria Aloma!

Querem saber onde a encontrar? Pois bem, Campo de Ourique, Rua Francisco Metrass, n.º 67.

Em breve lá irei experimentar.


Dica: Já que estão em Campo de Ourique, aproveitem e apanhem o Eléctrico 28 e conheçam a Lisboa profunda. Vale a pena o passeio!!! As ruas estreitas, os prédios antigos, as pessoas que ali parecem diferentes de todas as outras, o tempo que ali parou...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Noticiários



Não há dúvidas nenhumas, na minha opinião, o jornal da noite na RTP 2 - "Hoje" é o melhor a nível nacional.A dinâmica, a seriedade, a assertividade jornalistica estão de parabéns!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Música do dia - Somebody That I Used To Know


and I thought I never had to...
I was wrong, with a lot of wrong things, and thought´s...

Gotye - Somebody That I Used To Know

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Acerca da Enfermagem de hoje em dia...

Acho engraçado, a sério que acho engraçado quando temos a comunicação social a dizer que não foram mantidos os direitos fundamentais quando supostamente a polícia avança com carga para cima de manifestantes selváticos, ou quando a comunicação social dá tempo de antena a alguém que afirma que um grupo de presos faz uma manifestação "pacifica" numa prisão.

Ninguém se lembra de perguntar pelos direitos fundamentais de a quem tenha que ser mudada uma fralda com alguém do sexo oposto ali mesmo ao lado, todo urinado ou cheio de fezes, onde curtas cortinas servem tão bem como curtos cobertores, que ou tapam os pés ou tapam a cabeça (algum lado fica a descoberto).

É neste mundo de fingimento em que vivemos. Onde cada vez mais nos tiram condições de trabalho, onde tiram cada vez mais dignidade e individualidade à pessoa que recorre a um hospital, onde os cuidados muitas vezes são seguros por pontas de arames pelos Enfermeiros, e onde ninguém reconhece o papel que esta classe tem na qualidade dos cuidados de saúde.

Está na hora das nossas intervenções serem contabilizadas, se traduzirem em custos para as entidades hospitalares, porque até agora um posicionamento de uma pessoa cientificamente correcto feito na cama, uma colocação de fralda, uma colocação de um catéter endovenoso, um banho dado, a administração de uma medicação, a aspiração de secreções, a prestação de esclarecimento acerca da situação clínica dos inúmeros doentes, a avaliação de sinais vitais, a vigilância do estado neurológico de um doente, a oferta do máximo conforto numa das situações que maior desconforto podem trazer (a admissão intra-hospitalar), a experiência de alguém que dá a opção à pessoa de urinar para um urinol em pé junto a uma cama em detrimento de uma algaliação apenas porque deitado na cama a pessoa não consegue urinar, as mobilizações correctas feitas a pessoas com fracturas de coluna, o estabelecimento da dieta, dar as refeições, ou simplesmente a capacidade única que apenas o Enfermeiro tem de captar a confiança e empatia a alguém que há cinco minutos atrás era desconhecido, tudo isso é "0" para quem financia as instituições hospitalares. Somos pagos à cabeça por um preço que um dia acharam correcto e mesmo que façamos mais ou melhor, quem financia esquece tudo o que disse anteriormente. Está na altura das coisas mudarem, está na altura de termos um preço, está na altura de nos darem valor.


Podem até dizer que somos uma profissão dos limpa cús, (somos! não só, mas orgulhosamente também), mas quando esses (os que o dizem), cairem na cama de um hospital, eu quero ver por quem é que eles vão chamar para limpar o deles...

Até lá vamos lutando, vamos fazendo o melhor que podemos e da melhor maneira que sabemos, porque queremos, porque acima de tudo gostamos e não trocavamos estas dificuldades por nenhuma outra profissão do mundo.

A força da nova Ordem dos Enfermeiros



Finalmente alguém que agarre a Enfermagem com punhos cerrados! Cada vez mais sinto que o meu voto foi útil e acertado.
Toda a actividade que a actual Ordem dos Enfermeiros tem vindo a desenvolver demonstra isso, e bem recentemente, foi Cavaco Silva a ouvir todas as nossas preocupações e pretenções através do nosso Bastonário Germano Couto.

Agora mesmo, na TVI24 podemos ouvir o Enfermeiro Alexandre Tomás, não percam...

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Quando as palavras faltam...




Parei o carro no sinal vermelho. O rádio lá ia passando uma música baixinho com um luctor que a espaços dava vida a uma noite amarga.
O carro estava ao centro das três faixas de rodagem e nenhum carro se chegava à frente...
O que eu não dava por um pretexto para poder olhar para o lado esquerdo, o da porta... Algo ou alguém, um outro mundo para onde me pudesse deslocar, quanto mais não fosse para tentar descortinar o que se passaria na vida do condutor que tinha parado ali mesmo ao meu lado
Estávamos só nós dois ali, em silêncio, iluminados pela caracteristica luz amarela dos candeeiros públicos, cada um com um rio de argumentos para atirar ao outro, mas sem saber bem como o fazer, ou como os colocar.

O sinal lá abriu. A paisagem foi-se desenrolando e a tensão foi desvanecendo à medida que eu ia fingindo que me preocupava com o trânsito ou com a escolha do destino até casa...

Eu estava atulhado, cheio e entupido, mas aposto que ela não estava melhor, porque é no silêncio que se dá voz aos pensamentos

quarta-feira, 4 de abril de 2012

David Fonseca ao Vivo - Ontem TMN ao vivo



Bem conseguido, bem construído, bem pensado e bem sustentado.
Foi assim o concerto de ontem, no TMN ao vivo, David Fonseca com a apresentação do seu novo álbum. Pelo meio tivemos a oportunidade de relembrar alguns dos seus maiores sucessos, tudo junto com uma energia inesgotável de alguém que se aproxima da casa dos 40, mas que continua com uma performance crescente ao vivo.


Foi espetacular o concerto de ontem, e uma coisa é garantida! Quando cá voltar a Lisboa, eu lá estarei!!! Tenho pena é que muita gente não lhe dê uma oportunidade de ouvido a sério... Atrevam-se a ir a um concerto ao vivo e irão ver o quanto se arrependem de o catalogar como um cantor aborrecido e acústico!

O single "What life is for" resulta surpreendentemente ao vivo, tanto que até arrepia, "The beating of the drums" com David ao piano é uma lufada de ar fresco, e "Under the willow" a confirmação da qualidade do disco. Tudo isto impressiona quando pensamos que aqui apenas está metade do disco que será lançado ao longo deste ano, metade da criação artística feita por ele durante o ano de 2011. Será claramente o artista em voga este ano de 2012, até porque em Setembro teremos a apresentação do novo disco, ou melhor da segunda metade deste. E venham lá mais 11 ou 12 músicas novas e com esta qualidade!
(concerto esgotado)

fotos de Zapporsson

terça-feira, 3 de abril de 2012

David Fonseca - Hoje o concerto

Está para breve o concerto de um dos melhores artistas nacionais. Estou curioso para o que logo irei encontrar... Depois deixarei aqui o relato (photo-reportagem)

(Em actualização)...

Valeu bem a pena!!!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Opinião # 1 - Seasons | Rising


Neste momento estou em condições de afirmar que este novo trabalho trazido pelo David Fonseca é um dos mais bem conseguidos e completos que já lançou.
Sem dúvida um álbum mais extrovertido, assente em muitos pilares electrónicos e com alguns rasgos do mais puro rock, onde por vezes consigo ouvir alguma inspiração em Elvis...

A meu ver, "Under the willow", apresenta-se como o mais bem posicionado tema para ser lançado como 2º single deste Seasons | Rising.  Muito bem construído, consistente e de um catching fora do comum. Seguramente uma música para ficar por muitos anos, e que a meu ver é muito superior ao primeiro single, que apesar de ser electrizante, ficar no ouvido e ser de fácil interiorização, não chega ao nível de algumas das outras faixas.

Ainda a destacar : "Armagedon", "Whatever the heart desires" e " Go dance all night" onde o rock é exaltado ao mais puro e crú.

Para último deixo a minha sugestão: " We´re so much better than this" - Letra e música muito bem conseguidas!



Deixo aqui um aviso à navegação. Atentem à viragem feita no passado do Acústico para o Electro e à que agora está mais que patente, do Electro para o Rock... Está sem dúvida de parabéns. Este disco surpreende sem mácula, numa época negra onde ainda vão dominando os Pop´s e Push Pop´s... (ainda)

Onde escolher para viver...



Mais do que óbvio!

Num futuro próximo a residência junto ao local de trabalho/com bons transportes para local de trabalho serão a chave de poupança/sustentabilidade para o cidadão Português.
A decisão de compra de casa a isso deverá estar ligada. A meu ver, começam a ficar longe os sonhos de ter uma vivenda algo deslocada do centro urbano na tentativa de ganhar algum descanso e vida de qualidade.

Localização, localização localização...

sexta-feira, 30 de março de 2012

Rainy Days

Sabe bem voltar a ver-te, a cheirar-te, a ficar húmido cá por dentro quando me tocas, retorcido, de olhar fixo na janela enquanto te vejo passar...
Às vezes só de te sentir...

Assim fico sempre que voltas e há tanto que não te via..
Tens andado longe, distante. Porque te fazes de tão dificil. Quando apareces, vens de vóz tremula, frágil e sempre sem tempo para ficar. És insugura, lá bem dentro de ti. Não sonhas, e cada vez menos fazes parte dos meus sonhos.
Estico a mão e não te sinto, uma mão de pele seca e quebradiça esquecida do teu toque e do teu poder.
Hoje voltas-te, se não foi para ficar não importa, o que importa é que o fizes-te com alma! Molhaste-me da cabeça aos pés, marcaste o meu coração e vincaste o meu corpo. Agora em casa, debaixo de um cobertor, espirro num contentamento insessante.
Podes estar mais distante, mas hoje completaste-me cá de dentro até ao meu mais longinquo exterior.



Rainy days... Chuva, até que enfim!

quarta-feira, 28 de março de 2012

A Formula 1




Tenho saudades daquelas tardes de domingo depois de almoço. Tenho saudades da partida, das paragens nas boxes, das ultrapassagens dos despistes e da estratégia. Nunca mais foi o mesmo desde que Senna saiu de cena, mas as saudades continuam...

E o facto de agora ser algo transmitido em canal pago, não ajuda...

domingo, 25 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

David Fonseca no "Alta Definição"



Hoje, após o Jornal da Tarde na Sic...
Vale a pena ver, não percam, não se irão arrepender decerto... Eu que a esta hora me estarei a deitar, faço questão de deixar a gravar.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Mini-Maratona: O meu objectivo

7.600 mt em 30 minutos...

Utópico, pensamento lírico, inconsciência apura... Chamem-lhe o que quiserem, mas esse será sempre o meu objectivo.



Cerca de 3 minutos e 50 segundos por Km... é muita fruta!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Música do dia # 14 - "What life is for"

Aqui deixo finalmente o videoclip oficial para o novo single do David Fonseca, retirado do fresquíssimo Seasons:Rising.



Fica aqui a marinar, para absorver e reabsorver.
Quanto à mensagem a transmitir pelo videoclip... essa terei que lhe perguntar um dia. Até lá vou fazendo a minha associação e interpretação.


terça-feira, 20 de março de 2012

Final da Champions é no Estádio da Luz

Está confirmado! Em 2014 a final da Liga dos Campeões será no Estádio da Luz!



Esta é sem dúvida a melhor noticia de teor motivador nos últimos tempos para os lados de cá da 2º circular...
Posto isto, aposto que o nosso SL Benfica fará tudo, mas mesmo tudo, para se fazer representar nessa tão aguardada final da Champions.

Decisão sensata esta, a da UEFA, diga-se de passagem... :P

quarta-feira, 14 de março de 2012

Produto de qualidade - Adidas supernova Glide 4

Sem dúvida do melhor que actualmente se encontra no mercado. Estas sapatilhas dão a sensação de desaparecer durante a passada!
É um producto de qualidade, mas não deixa de ser muito caro... isto já para nao falar da nova aplicação "my Coach" que permite visualização dos aspectos decorrentes de cada corrida que fazemos...

Por agora estou muito contente com os que tenho... Adaptam-se à minha passada e à maneira como coloco os joelhos durante a corrida. Já têm uns aninhos, mas funcionam na perfeição!:p


Marcas de desporto, para mim... Nike VS Adidas, Adidas, definitivamente!

sábado, 10 de março de 2012

Anúncios # 6 - PT 4G



Sucessão desconexa de imagens e ideias unidas por uma música de fundo forte e que transmite claramente uma imagem de poder. Esta é a minha interpretação.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Detalhes finais...


Ele - ...
Ela - Podes chegar aqui...
Ele - ...
Ela - Chega aqui... chegas?!
Ele - Hummm?!
Ela - Qual é que preferes? (um brinco diferente em cada orelha).
Ele - Esses estão fixes!
Ela - Esses?! Mas eles são diferentes!
Ele - Sim, eu sabia!(errr)
Ela - Então, qual é que preferes?
Ele - O da esquerda.
Ela - Tens a certeza?!
Ele - Sim esse parece-me mais simples...
Ela - Achas que compre uns novos?
Ele - Acho que não é preciso...
Ela - Hum... não sei. E estes, não gostas? (apontanto para a orelha direita)
Ele - Bem, realmente esses sempre combinam mais com os sapatos...
Ela - Achas?!...Não sei... Preferes estes aos outros?
Ele - Não sei, que é que preferes?
Ela - Não sei... Quais é que gostas mais?
Ele - Os da orelha esquerda, são mais simples, fazem-se a cara mais longa e mais elegante...
Ela - ...
Ele - Então?
Ela - Não sei, tenho aqui outros mais pequenos... Mas são muito pequenos, não são?!
Ele - Sim, esses não...
Ela - Hum... Então levo os da orelha esquerda.
Ele - E a pulseira? Não combina com o vestido?
Ela - Não combina? É da mesma cor, acho que está perfeito.
Ele - Pois não sei. trás-me o relógio dos brilhantes...
Ela - Toma...
Ele - Hum... são brilhantes a mais...
Ela - Também acho.
Ele - E estas pulseiras prateadas?
Ela - Essas não, leva a verde!
Ele - Não é pouco?
Ela - Não, está perfeito! Estás perfeita!
...

(Já no sofá num ton de voz baixinho) Ela - E então que é que achas, compro uns brincos novos amanhã?

Mas ele é forte, e ela merece...

Ela - C
hega aqui...

Grande Sporting o de ontem!

Não sou do Sporting, mas tenho que reconhecer que ganhar 1-0 contra uma das mais poderosas equipas da Europa (a mesma que goleou o FCPorto na eliminatória anterior), é um feito e tanto!

quinta-feira, 8 de março de 2012

Futuro do jornal desportivo



Verdadeira preciosidade!

A Bola lançou agora um projecto com espaço para marcar a diferença na informação desportiva nacional.
Temos disponível uma TV "abola TV", que já me agarrou com apenas 2 minutos de visualização...
Uma espécie de Sport TV gratuita, sem jogos, mas com debates e muita informação. Ideal para fãs do desporto.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Já cheira a Primavera

Já cheira a primavera!
Têm dúvidas? Passem pela mata do Jamor, lá bem ao cimo, como quem vê o estádio cá para baixo e percam-nas...



Anúncios # 5 - Intimissimi



Mas há alguma dúvida de que se trata de material de qualidade?!
Esta lingerie deixa-me maluco...

terça-feira, 6 de março de 2012

Desculpe, podia dar-me uma informação?!



Quantas vezes já não vos aconteceu ter que fazer esta pergunta? Verdade seja dita que actualmente a sua frequência poderá estar a diminuir em função dos tão afamados GPS, mas eu que ainda não os tenho, e ao contrário de muito Português vincado, não tenho problemas em pedir informações à beira da estrada a qualquer um transeunte que me pareça minimamente idóneo.
Recentemente tive que utilizar este serviço de apoio "ao cliente".
Tudo começa com um sentimento que começa a roçar o desespero. Ou seja, toda e qualquer referência que tínhamos para determinado destino desaparece, e tudo o que vemos são ruas estranhas, casas desconhecidas e caras desconfiadas que nos olham fixamente, porque eles no fundo já pressentem que nós somos de fora.
Depois surge o processo de selecção. Aquele pelo qual nós, desesperados, escolhemos a pessoa a quem literalmente vamos pedir que nos indique o nosso destino...
Crianças não vale a pena, malta jovem apressada também não são de fiar (não conhecem grande coisa e são muito bem capazes de nos enviar para o local exactamente oposto ao correcto, apenas porque estão na idade dos contras), mulheres com sacos das compras também não são uma aposta fiável, emigrantes nem vale a pena (seria uma sorte se nos conseguissem compreender) o que nos deixa três grupos:
  • Os velhotes que são pessoas em quem confiar por norma;
  • Os homens de meia idade transeuntes (normalmente os mais concisos e correctos);
  • E por fim, os trabalhadores de construção civil à beira da estrada...
Foi por esta última que me decidi na última vez em que tive dúvidas. Abrandei o carro, baixei o vidro do lugar do pendura e estiquei-me na diagonal e pedir a tal informação.
Primeiro acaba por responder o que se encontra mais perto. Contou a sua versão, uma, duas e depois três vezes até que os que se encontram atrás deste primeiro começam a ganhar confiança, aproveitam para descansar um pouco os braços e se chegam ao carro dizendo cada um a mesma versão mas num ton de voz diferente.

Por último vem aquela parte em que já percebemos as indicações ou em que fingimos que já percebemos e não queremos perder mais tempo ali e começamos a levantar o pé da embraiagem lentamente ainda com o homem a falar. Despedimonos já sem contacto visual e obrigadinhus, até uma próxima.

Eu lá consegui chegar ao destino pretendido, mas sinceramente ainda temi pelo pior, quando reparei que o primeiro a quem pedi informações, tinha tatuado no braço "AMOR de MIM"...




terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O meu Carnaval



Nunca achei grande piada a esta época. A ideia de ter que andar mascarado nunca foi de meu agrado, mas o problema, esse vem já de longa data, ainda antes da altura em que era vitima de ataques impiedosos por entidades quase sempre ocultas, com lançamentos de ovos (quase sempre podres).
Lembro-me da primária, altura em que todos faziam questão de desfilar com a sua nova fatiota, e eu obrigado, apenas o tolerava porque a minha mãe lá me arranjava uma capa de Zorro e uma espada à maneira ou um coldre com uma pistola quase verdadeira!
As serpentinas espalhadas no tecto da sala de uma ponta à outra e aquele pó que se juntava no chão, nunca foram o suficiente para me entusiasmar, quando tudo o que eu queria era jogar o jogo do Mata à vontade sem roupas que me prendessem os movimentos.
Voltando à única época de algum modo tolerada pela minha parte, a época dos balões de água e não a dos ovos (porque a minha mãe nunca me deixou levar ovos do frigorífico para as batalhas), essa sim, ia tendo alguma piada, pois foi alusiva a uma especie de luta aguerrida pelo território lá da rua.
A rua de cima contra a rua de baixo!
Imediatamente depois de almoço, corríamos ao quiosque azul lá do sítio, onde podíamos abastecer por 2$50 cada balão. Trazíamos nos bolsos aos 100 cada um, mais algumas gomas à parte só para ganhar mais forças para a tarde que se avizinhava.
De seguida acorríamos a casa de um de nós, e enchíamos até termos mãos para isso, os balões de água. Estes tinham que ser cheios com uma  precisão de mestre, pois se fossem muito cheios não rebentavam aquando do ponto de contacto com a superfície corporal do inimigo. Já se estivessem cheios em demasia, eram encarados como uma granada já sem cavilha, pois poderia rebentar a qualquer altura desde que pegássemos neles até ao momento em que saia da nossa mão, ou seja, molhavamo-nos sempre!
Posto isto, era seguir viagem e correr o quarteirão sempre com uma estratégia de ataque, cautelosamente organizada. Cabeças agachadas, sprints malucos, técnica do quadrado, divisão do grupo, ou por último e mais arriscado, utilizar elementos como chamariz dispostos a sofrerem uma pequena molha em detrimento de um ataque vigoroso e arrasador pelas costas do inimigo.
Isto sim foram os únicos bons tempos ou recordações de Carnaval que tenho até à idade...
Fora isso, só me vêm à memória figuras tristes, caracterizações nem sempre bem conseguidas, e cabelos humedecidos com o champo fortificador do couro cabeludo, composto por ovos podre, bem podres.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Música do dia # 13 - Come as you are


Tinhamos tido um furo de duas horas, a professora de Português tinha faltado à aula das 14h30 às 16h30, e em vez de irmos cada um para sua casa, fomos para a casa do amigo que morava mais perto. Era o Zé Nuno.
Estava uma daquelas tardes amenas, de céu limpo, que puxava que nem cola grande parte da miudagem a se esparramar no chão, junto à parede lateral do pavilhão D. Uns experimentavam os primeiros "bafos" num cigarro colectivo, outros reuniam-se em circulo de volta de um mais habilidoso que lá ia entoando uns acordes afinados e lá ao fundo, um grupo de cinco, ia trocando em cadeia massagens no couro cabeludo.
Nós éramos daqueles que ninguém notava, apenas mais uns que corriam todos os intervalos para a rua, para dar uns chutos numa lata esmagada durante uns curtos 10 minutos, antes que chegasse o segundo toque.
Mas naquela altura não nos apetecia nem tocar guitarra, nem dar umas passas, nem jogar "à bola".
Decidimos deixar aquele ambiente pasteloso que aí reinava e seguimos até três quarteirões à frente da escola.
Foi assim, que os cinco enfiados numa sala espaçosa ouvimos os acordes desta música.
Eu na altura nem me apercebi de quem se tratava, mas sei que a música me estava a entrar no ouvido. Para ali ficámos aquelas duas horas, a ouvir Nirvana, eu pela primeira vez, eles talvez já não, mas lembro-me que aquela tarde me marcou de uma maneira diferente.
Quando nos despedimos, aí sim, cada um para sua canto, tentei levar comigo os refrões desta e doutra música comigo, trauteando entre as ruas de Algés até chegar a minha casa. Sei que cheguei a casa frustrado, porque entretanto os acordes se tinham esvaído do meu ouvido e eu tinha novamente ficado "sem nada".
Já não me lembrava nem do nome da banda nem das música, não tinha ficado com nada. Na altura não havia net nem Google, não havia You Tube nem Facebook, não havia pesquisa por palavras chave nem mundos virtuais, pelo menos para mim e para nós que naquela época ainda vivíamos de Cassetes e das cópias que íamos pedindo a alguém que tivesse uma aparelhagem "potente" e que conseguisse fazer a gravação.
Na altura não havia preocupações, apenas pequenas obrigações.
Os trabalhos de casa par apresentar à professora de matemática do dia a seguir, a reza que fazíamos todos em conjunto nas filas de trás para que a professora de Físico-Química não nos chamasse ao quadro e as esquivas precisas que eu conseguia fazer na aula de Português, quando me escondia atrás da cabeça da minha colega da carteira da frente.
De resto o tempo era todo passado com a cabeça no ar. Com os olhos na minha paixoneta da turma, no jogo de bola que se passava lá fora e na finta espetacular que tinha feito no intervalo anterior (enquanto assoprava para dentro da camisola para reduzir ao máximo a minha transpiração que naquela altura começava a cheirar mal)!!!

Belos tempos esses, os da Escola Secundária de Miraflores

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Música do dia # 12 - Sexta-feira


De uma qualidade e transparência espicaçante!!! Por Favor ouvir tudinho com as legendas acompanhando as imagens... até ao fim!

Sabores esquecidos


Há anos que não comia Cerelac.
Hoje, depois do trabalho, antes de me deitat, aqueci um pouco de leite e juntei muita cerelac. O quanto bastasse para fazer aqueles rolhões mais secos que se colam ao céu da boca

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Feliz dia aos que não o são

Namorados.

Este é oficialmente o segundo ano em que passo este dia com namorada. Ao longo da minha existência, sempre vi este dia passar não como apenas mais um, mas como sendo o dia dos outros, porque deles quase sempre se esquecem...



Os que não têm ninguém, seja por opção, porque não conseguem ter, porque ninguém olha para eles, porque eles pensam que ninguém olha para eles, porque na maioria das vezes há sempre alguém que olha para eles e porque quase sempre isso fica por dizer...

Aos que não sabem que há alguém do outro lado, aos que simplesmente não querem saber, aos que têm vergonha de arriscar e aos que hoje arriscaram e não foram bem sucedidos, aqui vai o meu apoio, porque um dia alguém irá aparecer!!!